Antes de mais nada trago este estudo para fins de reflexão, visto como hoje o namoro é considerado por demasiado normal. O que a bíblia diz a este respeito?


Mais primeiro vejamos seu significado:

Namoro - ato ou efeito de namorar (Não ajudou muito, não é?).

Namorar - inspirar amor a ou tornar-se amoroso; apaixonar (-se), seduzir ou deixar (-se) seduzir, atrair ou sentir (-se) atraído. Terem duas pessoas relacionamento amoroso em que a aproximação física e psíquica, fundada numa atração recíproca, aspira à continuidade.

Nas Escrituras Sagradas, a Viva e Eficaz Palavra de Deus... Bem que tal me ajudar um pouco e procurar na sua chave bíblica? Confesso que cansei de procurar na minha. Quem sabe uma tradução diferente, moderna, uma dessas NVI’s. Até agora nada, Por quê? Porque não está lá. Em primeiro lugar, não existe namoro na Bíblia. Trata-se de uma invenção diabólica – que existe para que as pessoas aproveitem os benefícios emocionais e físicos da intimidade sem a responsabilidade de um compromisso real.

O namoro, como nós o conhecemos, não existia até o início do século XX. É um subproduto dessa cultura mundana voltada para a diversão e o entretenimento. É descartável como uma lâmina de barbear.

Nossa intenção não é encher sua cabeça com perguntas, mas questionar-se pode levar-nos a um profundo entendimento sobre o assunto. Existem muitos motivos pelos quais um Cristão não namora. Aqui, enumeramos sete:

1. O NAMORO CONDUZ À INTIMIDADE, MAS NÃO NECESSARIAMENTE A UM COMPROMISSO.

Aprofundar a intimidade a clara definição de um nível de compromisso é nitidamente perigoso. É como escalar uma montanha com uma parceira sem saber se ela quer a responsabilidade de segurar a sua corda. A intimidade sem compromisso desperta desejos, emocionais e físicos, que nenhum dos dois pode satisfazer se agirem conforme o padrão de Deus. E a Palavra é muito clara sobre o assunto em I Tessalonicenses. 4.6. O termo é defraudar. Se não posso satisfazer, então porque vou começar? E normalmente essa intimidade começa com beijos. E “só beijos” são por pouco tempo, porque existe muito mais além dos lábios, que o corpo começa a pedir. É a mesma coisa quando você compra um sorvete e tira a embalagem. Antes de comer o sorvete, você percebe que ainda há um pouco de chocolate que ficou na embalagem e, antes de jogá-la fora, você lhe dá uma lambida para não estragar nada. Mas, quem vai parar por aí? Quem deixará o sorvete estragar estando contente por ter lambido o chocolate na embalagem? Ninguém. É ridículo pensar assim. Especialmente depois de provar um pedaço. É muito difícil não querer provar o resto. E isso é o que acontece no namoro. Afinal você prova o chocolate que ficou na embalagem e não vai desejar o resto? Sinto muito, mas não me fale o contrário, pois não consigo acreditar mesmo. Entenda que o verdadeiro problema é que não era para você estar tirando a embalagem, porque você nem comprou o sorvete.

2. O NAMORO GERALMENTE CONFUNDE CONTATO FÍSICO COM AMOR.

A nossa cultura como um todo entende as palavras “amor” e “sexo” como sinônimas, não deveríamos ficar surpresos que muitos relacionamentos confundem atração física e intimidade sexual com o verdadeiro amor. Quantas vidas já foram emocionalmente destruídas por causa dessa tal “prova de amor” que alguns exigem de seus namorados(as)? Desde quando a relação sexual é uma prova de amor? Você pode até me dizer que o envolvimento físico pode fazer com que duas pessoas se sintam próximas, é verdade. Mas se muitos casais de namorados examinassem o foco do seu relacionamento, eles certamente descobririam que o que têm em comum é a lascívia. OBS.: Lascívia significa: “sensualidade”, ou seja, quem pratica a lascívia pratica a sensualidade defraudando ao seu irmão ou irmã. É fruto da carne! (Gálatas 5 - 19). E nos rouba o entendimento (Oséias 4-11).

3. O NAMORO TENDE A PULAR A FASE DA “AMIZADE” DE UM RELACIONAMENTO.

No namoro, a atração romântica geralmente é a base do relacionamento. A premissa do namoro é: “Eu estou atraído por você; então vamos nos conhecer melhor.” O namoro rouba a grande possibilidade de iniciar o relacionamento pela estrada certa. A estrada da amizade. Afinal, a premissa da amizade é bem diferente: “Nós estamos interessados nas mesmas coisas; vamos aproveitar esses interesses comuns juntos”. C. S. Lewis descreve a amizade com sendo duas pessoas andando lado a lado em direção a um objetivo comum. Bem se já entendemos que ter intimidade sem compromisso é defraudar, agora precisamos entender que a intimidade sem amizade é algo totalmente superficial. Um relacionamento baseado somente na atração física e nos sentimentos românticos apenas durará enquanto durarem os sentimentos.

4. O NAMORO GERALMENTE ISOLA O CASAL DE OUTROS RELACIONAMENTOS VITAIS.

Outro grave erro gerado pelo namoro é que, na prática, namorar significa basicamente duas pessoas com foco uma na outra. Infelizmente, na maioria dos casos o resto do mundo vira um pano de fundo. Se você já fez papel de vela, sabe do que estou falando. Agora pensemos um pouco sobre o estrago que isso pode fazer na Igreja (que é o corpo de Cristo, da qual todos os Cristãos fazem parte): a atenção exclusiva, que é normalmente esperada em um namoro, vai roubar dos dois a paixão pelo serviço ao Senhor. Vai isolá-los dos irmãos e amigos que mais os amam, dos familiares e, o mais triste, até do próprio Senhor, cuja vontade é, de longe, mais importante do que qualquer interesse romântico. Preocupa-me ver que muitos jovens têm buscado guardarem-se fisicamente puros, mas entregam o coração a um romantismo hollywoodiano, exagerado e fora de tempo. Compensam a ausência de intimidade física com envolvimento emocional desenfreado, que joga por terra as motivações corretas e acaba conduzindo ao pecado.

5. O NAMORO, EM MUITOS CASOS, TIRA O FOCO DOS JOVENS ADULTOS DE SUA PRINCIPAL RESPONSABILIDADE, QUE É DE PREPARAR-SE PARA O FUTURO.

Uma das tendências mais tristes do namoro é desviar os jovens adultos do desenvolvimento dos seus talentos e habilidades dadas por Deus. É um grande momento para buscarem crescer em valores importantes para desempenhar bem seus papéis estabelecidos por Deus para uma família. Uma época propícia para equipar o caráter, cuidar da formação acadêmica e de obter experiência necessária ser bem sucedido na vida. Ao invés disso, muitos se permitem serem consumidos pelas necessidades momentâneas, pelas quais o namoro clama.

6. O NAMORO PODE CAUSAR DESGOSTO COM O DOM DE PERMANECER SOLTEIRO DADO POR DEUS.

Ah, meus amados! Infelizmente não é raro encontrarmos alguns solteiros – principalmente mulheres – desgostosos com a própria vida. Sentindo-se vazios, incompletos, tristes. Tudo isso porque acham que estão “passando da idade” de se comprometerem com alguém. Não pode haver espaço para tais sentimentos no Reino de Deus, pois apesar de não estarmos pecando quando desejamos um dia nos casar, podemos ser culpados de mau uso do privilégio de sermos solteiros. Isso acontece quando permitimos que um desejo por algo que Deus ainda não nos deu, roube a nossa capacidade de aproveitar e apreciar o que Ele tem nos dado.

7. O NAMORO CRIA UM AMBIENTE ARTIFICIAL PARA AVALIAR O CARÁTER DE OUTRA PESSOA.

O namoro cria um ambiente artificial que não exige que a pessoa apresente as suas características positivas e negativas. Em um namoro, a pessoa pode entrar no coração do parceiro usando verdadeiras máscaras de sedução. Por exemplo: ser um cara divertido em um passeio ou estar bem vestida não diz nada sobre o seu caráter ou sua habilidade em ser um bom marido ou esposa. Já pensou sobre as questões abaixo? Como ele interage com as pessoas que o conhecem melhor? Como ela reage quando as coisas não saem como planejado? Como é seu relacionamento com seus familiares? Ao considerar alguém um parceiro em potencial, uma pessoa que podemos observar, precisamos encontrar respostas a estas questões – questões que o namoro não irá responder.

CONCLUSÃO
: Amados, convenhamos: a questão aqui não é de proibição. É de forma. Namoro é a forma do mundo. Vamos tomá-la para nós, ou cumprir o que nos diz o apóstolo Paulo em Romanos 12:2 ?


Postado por Lucilene Alves Cardoso Maia em 13 maio 2012, na Rede Social Cristo é a Verdade


            ADENDO NOSSO


CONSIDERAÇÕES SOBRE O NAMORO CRISTÃO
Se o nome que se chama ao período de conhecimento entre duas pessoas antes de se casarem é amizade, compromisso ou namoro, isto é o de menos, chame cada um o nome que achar melhor, mas o mais importante mesmo é a postura de ambos durante este período.

Não precisamos ser nenhum especialista no caso para saber que a maturidade física de um jovem ocorre muito mais precocemente se compararmos com o amadurecimento psicológico, mental, e intelectual. No período da adolescência, por exemplo, os impulsos sexuais tendem a ocorrer com mais frequência e com maior intensidade.

Se um jovem cristão deseja manter-se puro diante de Deus e quer desenvolver um relacionamento segundo a sua vontade, precisa estar vigilante, não só no namoro, mas em qualquer outra área de sua vida.

A pergunta que eles mais fazem costuma ser: até onde eu devo ir, no meu namoro?

Ora, a bíblia diz que a unção está em nós e que não há necessidade de que ninguém nos ensine, portanto, aquele que andar em Espírito, certamente não se deixará levar pela concupiscência da carne (Gálatas 5.16).

Não há nem necessidade de se estabelecer limites precisos para contatos físicos no namoro, cada um deve deixar-se guiar pelo Espírito Santo que nele habita. Jesus falou que se um homem até mesmo olhar para uma mulher com a intenção de cobiçá-la já adulterou em seu coração. Quem de nós então é apto para saber o que se passa no coração e na mente de um ser humano, senão Deus? Como medir isto?

Podemos até citar aqui algumas recomendações que podem ajudar e muito o jovem neste período, como por exemplo: Evitar conversar em lugares isolados, Vestir-se adequadamente, não iniciar relacionamento de namoro em idade precoce, etc. Contudo, a principal delas é que o jovem mantenha uma comunhão estreita com o seu Senhor, sem a mesma, certamente não será bem sucedido em nenhum tipo de relacionamento.

Porque a Palavra de Deus é bem clara quanto ao namoro, observe que ICorintios 7.9, faz uma exortação muito séria dizendo: Se não podem conter-se, casem-se, porque é melhor casar do que abrasar-se.

Amados, abrasar significa fornicar, e a Palvra revela que os fornicários não herdarão o Reino do Céu.

Deus seja louvado!
Irmão Carvalho